areal

Desenvolvido a partir da experiência de realização de trabalhos conjuntos pelos artistas André Severo e Paula Krause, Ilha baseia-se na desconstrução da noção clássica de performance artística e em sua apresentação através de videos, fotografias, desenhos e textos.

 

Tanto em suas pesquisas criativas individuais, quanto nas propostas conjuntas, André Severo e Paula Krause propõem uma experimentação constante entre as instâncias processuais e suportes de registro e apresentação de seus trabalhos poéticos. Pautado pela composição de cenas nas quais os artistas dirigem-se ou são dirigidos em ações pré-determinadas em paisagens e contextos distantes de grandes centros urbanos, Metáfora insere-se nesta dinâmica de questionamento do puro registro de performances ou de intervenções na paisagem, e passa a ser também uma investigação sobre as possibilidades associativas e disassociativas de registros poéticos dentro do ambiente expositivo.

 

Buscando ser uma expansão da pesquisa autoral desenvolvida por estes artistas – que encontraram na ação, no movimento performático artístico, uma fonte de interesse que acabou por possibilitar desdobramentos de propostas também nos terrenos da fotografia, do vídeo e do cinema –, Ilha configura-se não apenas como uma sequencia de registros de ações artísticas propostas para serem apresentadas em suportes variados dentro ou fora do espaço expositivo, mas sobretudo como uma proposta de utilizar-se da dinâmica mesma dos processos performativos e dos registros audiovisuais para impulsionar uma espécie de miscigenação do terreno do registro performático com o campo específico da fotografia e do texto e, assim, possibilitar o nascimento de um bifurcação peculiar no caminho da expressão artística de seus autores.