missão

missão

filme digital

60min.

16:9 - pb - som

2005 - 2014

 

missão

díptico fotográfico

02 imagens

100 cm x 150 cm

2005 - 2014

 

Acervo do Museu de Arte Contemporânea do Rio Grande do Sul

Composto por um filme e um díptico fotográfico, esta instalação apresenta trabalhos relativos à ação Missão de André Severo. Desenvolvida dentro do quadro de atividades  do  projeto Areal, Missão consistiu na realização de uma  série  de  viagens por diferentes cidades do estado do Rio Grande do Sul, Brasil, onde, ao longo de um ano, foram encontradas, deslocadas  e  plantadas  uma  dúzia  de  árvores  mortas. A  execução  deste  trabalho  —   desempenhado  como  um  ritual  sistemático  de  abandono  do  contexto cotidiano  em  favor  da  aproximação  com  locais  ermos  do território gaúcho  —   teve início na cidade  de Canela e,  no  decorrer de sua realização,  buscou  exprimir uma ação simbólica de vinculação tropológica entre corpo e  paisagem através de uma experiência artística. Produzida  entre  os  anos  de  2004  e  2005,  a ação teve como marco referencial  a história  do anacoreta  João  o  Pequeno,  tornado  célebre  por  ter  realizado  no  deserto  de  Skete,  por  volta  do  ano   383,  um  milagre   de   obediência  e  perseverança:  regar  em  pleno  deserto,  por  ordem de  um ancião,  uma  vara  seca  até  que  ela  ganhasse vida novamente. Por conta da natureza superveniente da ação  —  que  não  podia  ser programada e dependia do encontro  fortuito  das  árvores  que  seriam  deslocadas  e  plantadas  —, Missão  manteve apenas  alguns registros  fotográficos  de  sua  execução. O que o filme e o díptico fotográfico intitulados Missão apresentam  é uma  reinvenção, realizada em parceria com Paula Krause nove anos  após  a  conclusão  do  trabalho, do  plantio  da primeira  árvore sob as mesmas  condições e no mesmo  local da ação original. O filme Herança, que complementa a instalação, foi produzida como conclusão da ação e mostra os filhos de André Severo e Paula  Krause, Carlos Eduardo e João Henrique, em um plano fixo, regando a árvore no terreno onde ela foi plantada.